Foto Notícia - Vacina Dengue

Caso seja liberada pela agência, a vacina produzida por um laboratório francês poderá ser utilizada, mas não necessariamente estará disponível no SUS

Uma vacina contra a dengue produzida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur está com o pedido de licenciamento sendo avaliado pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). Se o registro for concedido, significa que o produto inédito poderá ser utilizado no mercado nacional. Porém, segundo nota do Ministério da Saúde, não necessariamente estará disponível no SUS.

A eficácia do imunizante é considerada baixa, pois consegue pouco mais de 60% de proteção contra os quatro tipos de dengue. Já o laboratório afirma que a vacina protege 95% das pessoas que a receberam contra casos graves da doença, inclusive a dengue hemorrágica. A aplicação se dá em três doses com intervalo de um ano entre a primeira e a última.

Para ser disponibilizada no SUS, a vacina, depois de ser registrada, será avaliada pelos Comitês Técnicos Assessores em Imunizações e em Dengue, do Ministério da Saúde. Durante esse processo, serão levados em conta itens como segurança, eficácia, custo-efetividade e só então será decidido se vale a pena ou não disponibilizar o produto na rede pública de saúde. O Ministério da Saúde ainda não tem previsão de quando uma vacina contra a dengue estará disponível gratuitamente.

Dois institutos nacionais, Butantan e BioManguinhos, também estão atualmente em processo de desenvolvimento da vacina. O Ministério da Saúde reforça, no entanto, que, mesmo com a criação de um imunizante no futuro, o combate ao mosquito continuará sendo prioridade, pois o Aedes aegypti pode transmitir outros vírus, como Chikungunya e o Zika.

Fonte: Revista Crescer

Responda