A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da vacina contra o HPV (papilomavírus humano) em homens de 9 a 26 anos de idade. A vacina já era aplicada em mulheres, e desde 23 de maio de 2011, foi liberada pelo órgão para ser usada em homens no país. Aplicada em 3 doses, é usada em homens em países como Estados Unidos, Canadá, Equador, Filipinas, Malásia e Macau.

A vacina quadrivalente contra o HPV protege o organismo contra 4 tipos do vírus (6,11, 16 ou 18) – os que estão associados ao maior número de casos de câncer e verrugas genitais. A empresa fabricante do produto aprovado no Brasil, diz que resultados de testes mostram que a vacina reduz em 90,4% os casos de lesões e diminui em 85,6% a incidência de infecções persistentes relacionadas a esses tipos de HPV.


O HPV está diretamente associado a 90% dos casos de câncer de colo de útero, e pode causar também o câncer de pênis e de ânus. Um dos sintomas mais comuns, no entanto, são as verrugas genitais. Embora o HPV seja transmitido comumente através de relações sexuais, é possível o contágio sem que haja relação sexual, apenas no contato com a região genital. Como muitas pessoas portadoras do HPV não apresentam nenhum sinal ou sintoma, elas podem transmitir o vírus mesmo sem saber. Por isso, a prevenção é fundamental, e pode ser reforçada com o uso da vacina.

Responda